Postado por

Gisele Luana Starosky – Médica Veterinária
01/06/2018 10:00


Cuidados necessários para cães e gatos no outono/inverno

No inverno a atenção com a saúde dos cães e gatos deve ser maior, uma vez que durante essa época do ano estes animais ficam mais propensos a contrair doenças comuns dos períodos frios como a gripe canina, pneumonia, rinotraqueíte felina e outras patologias respiratórias. Muitas pessoas acabam achando que devido ao fato dos animais terem pelos eles não sentem frio, o que não é verdade. A atenção deve ser redobrada principalmente em animais filhotes e idosos, pois os problemas podem acabar sendo intensificados uma vez que eles apresentam uma menor imunidade.

A fim de mantê-los mais protegidos, alguns cuidados essenciais são citados abaixo:

Vacinação

As vacinas são muito importantes na prevenção de doenças respiratórias que podem ocorrer nos animais durante o outono/inverno. Os cães podem contrair o vírus da gripe (influenza), a bactéria Bordetella bronchiseptica e outros patógenos causadores de doenças do trato respiratório. Uma das patologias mais conhecidas nos cães causadas por estes microrganismos é a Tosse dos Canis (Gripe Canina), altamente contagiosa, dissemina-se com mais facilmente nos períodos frios. Já em gatos, a doença mais comum neste período é a rinotraqueíte felina, também altamente contagiosa. Portanto, a fim de garantir uma boa proteção, os cães devem estar com a vacina da Gripe Canina em dia, e os gatos devem receber a vacina Quádrupla felina.

Ainda com relação às patologias que se disseminam com mais facilidade no inverno, é importante lembrar da cinomose. Apesar desta doença ser frequente durante todos os períodos do ano, as baixas temperaturas do outono/inverno podem propiciar uma maior sobrevivência e disseminação do vírus no ambiente, pois o vírus da cinomose canina (VCC) é resistente a estas condições. Para a prevenção desta doença, o animal deve estar em dia com a vacina polivalente (V8, V10).

Animais bem aquecidos

É importante deixar os cães e gatos sempre bem aquecidos, pois apesar de possuírem pelos, muitas vezes ainda podem sentir frio nas estações com temperaturas mais baixas. Roupas podem ser necessárias principalmente em animais de pelagem curta ou que são tosados, porém sempre é bom atentar se o animal é acostumado e está confortável com as roupinhas. Além disso, é interessante deixar cobertores e mantas nos locais onde dormem e que seja um local preferencialmente longe de correntes de ar.

Passeios em horários mais quentes

Outra dica é cuidar para escolher os horários com clima mais agradável para passear com os animais, dando preferência pela tarde. Esse cuidado evita que o animal passe por mudanças bruscas de temperatura, uma vez que dentro de casa costuma ter temperaturas mais agradáveis.

Cuidados com a pele

No inverno o ar costuma ser menos úmido, o que pode predispor ao ressecamento da pele dos animais. Cães com a pele ressecada podem apresentar dermatites (inflamação da pele), além de outras doenças devido a coceira intensa, deste modo é sempre importante prestar atenção na hidratação da pele e pelos deles. A fim de evitar um maior ressecamento, o ideal é optar por banhos com água morna e em locais sem corrente de vento, ainda após o banho, é interessante secar bem o animal para evitar que o pelo e pele fiquem úmidos. É importante também utilizar um xampu hidratante e com ação antisséptica, desta forma a pele recompõe toda hidratação perdida com o tempo seco.

Suplementação

A suplementação, quando prescrita por um Médico Veterinário, pode ser uma aliada na prevenção contra doenças comuns quando a imunidade dos animais cai. Alguns suplementos que podem ser utilizados são os probióticos e prebióticos, auxiliam na melhora imunológica dos animais através da estimulação de microrganismos benéficos ao trato intestinal. Outros suplementos interessantes são a condroitina e glucosamina, importantes principalmente para cães e gatos idosos que sentem maior dor articular em períodos frios, uma vez que a sensibilidade das articulações é aumentada pelas temperaturas baixas.

Todas essas dicas são importantes para evitar possíveis quedas da imunidade, e consequentemente, doenças respiratórias comuns dos cães e gatos no inverno. Antes de mais nada, é importante levar o animal a uma consulta veterinária a fim de se certificar que a saúde dele está em dia e conferir mais a fundo todas as medidas de prevenção.


Mais matérias

Navegue pelos nossos conteúdos exclusivos.

Blog

Como conciliar sua vida pessoal com seu negócio empreendedor

POR , Equipe Fórmula Animal 18/06/2018 15:00 O dia corre a 100 km/h e nesse pouco tempo você se multiplica para cumprir tantos compromissos. Chegar em casa, aproveitar para relaxar, desfrutar
Blog

Tendências em alta no franchising para 2018

POR , Marcelo Piazera - Sócio-fundador da Fórmula Animal 18/06/2018 14:00 Quem quer crescer ou investir em uma franquia tem que conhecer logo de cara quais são os segmentos mais atrativos, não é mesmo? Isso já ajuda o
Blog

Copa do Mundo e fogos de artifício: dicas para acalmar os cães e gatos

POR , Gisele Luana Starosky – Médica Veterinária 15/06/2018 14:00 Em épocas festivas, é comum muitas pessoas celebrarem com fogos de artifício e rojões, sendo uma comemoração tradicional por todo o país. A Copa
Blog

Ansiedade: como melhorar a saúde do seu pet

POR , Gisele Luana Starosky – Médica Veterinária 30/05/2018 10:00 Você certamente já ouviu falar em ansiedade. Mas você sabia que o seu cãozinho também pode sofrer desse problema? Os principais sinais podem ser