Dicas

Animais e crianças: uma relação repleta de benefícios

Outubro chega com a preocupação de sempre: como agradar as crianças? Afinal, o mês é delas e nada como o sorriso de quem recebeu um presente tão esperado ou um mimo dos pais, não é mesmo? Um dos pedidos mais recorrentes das crianças tem uma razão. Que atire a primeira pedra quem nunca ouviu do filho, filha, irmãozinho, sobrinho o pedido “queria tanto um cachorrinho/gatinho”. É sempre importante lembrar que os pets não são brinquedos, nem presentes descartáveis e que ao adotar um, a família deve ter responsabilidade sob a tutela do animal, mas eles sim serão grandes companheiros das crianças e, claro, de toda a família. 

A relação das crianças com os pets é natural e traz inúmeros benefícios tanto para os pequenos, como para os bichinhos. Os pais e mães que tiveram essa relação na infância entendem a importância de promover os laços entre crianças e pets, tornando a caminhada dos pequenos muito mais bonita e divertida ao lado desses companheiros patudos.

Além da diversão e da bagunça, claro, a relação entre crianças e pets traz diversos benefícios, como o fortalecimento do sistema imune, o controle da ansiedade e do estresse, os estímulos cerebrais e emocionais e, ainda, os valores que uma relação sem interesses e baseada em carinho e amor podem fomentar.

Saiba mais sobre os benefícios e o que os pequenos aprendem com os pets: 

Cérebro estimulado: A SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) ressalta a importância da relação entre as crianças e os animais para auxiliar o desenvolvimento cerebral, acentuado nos dois primeiros anos de vida. A relação bebê e pet faz com que as crianças repitam constantemente uma mesma atividade, como o carinho no corpo do bichinho ou aquela tentativa desenfreada de segurar o gatinho pelo rabo. Essa repetição aperfeiçoa as habilidades motoras!

Sistema imune fortalecido: Proteção de infecções e diminuição do risco de dermatite atópica e asma. É o que a relação entre crianças e pets pode proporcionar, algo que, anos atrás, era impensável. Não é raro ouvir bisavós e avós com o discurso de que cães e gatos fazem mal para o bebê e essa era uma máxima que perdurou por muito tempo. No entanto, é exatamente ao contrário! O convívio entre crianças e animais já é alvo de pesquisas que indicam a influência dessa relação na estimulação do sistema imune. Ou seja, o bichinho faz bem para a saúde das crianças.

Estresse controlado: Se cães e gatos já ajudam nós, adultos, a relaxar, a esquecer os problemas do dia a dia, imagine o quanto podem acalmar as crianças, que são capazes de se dedicar integralmente a correr atrás dos gatos e a jogar bolinha para os cães. O relaxamento proporcionado pelo carinho nos animais é científico. Ao acariciar gatos e cães, o corpo libera ocitocina, que alivia o estresse, além de dar a sensação de satisfação e felicidade. A importância dessa relação já baseou um estudo do CDC (Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos), que mostra que ter um bichinho em casa diminui significativamente as chances de ansiedade infantil.

Prevenção da obesidade infantil: Não tem como ser sedentário tendo um animalzinho cheio de energia em casa, não é mesmo? E estudos científicos se debruçam justamente sobre esse assunto. Em 2017, um estudo da Universidade de Alberta realizou uma pesquisa para investigar a relação entre pets na gestação, bebês e obesidade infantil. O resultado apontou que aqueles que conviveram com pelo menos um bichinho enquanto ainda eram gerados tinham menos chance de ganho de peso.

Fortalecimento emocional: A capacidade afetiva potencializada pela relação com um bichinho é fácil de perceber em crianças que têm um pet como amiguinho desde o início da vida. A companhia e a parceria construída ajudam a trabalhar carinho, socialização, capacidade afetiva, empatia, autocontrole, além da comunicação verbal. A “conversa” das crianças com os bichinhos é constante e importante!

Os benefícios se multiplicam e, além disso, os pais podem inserir valores importantes ensinando os filhos sobre o cuidado com outro ser vivo. O momento do banho, da alimentação e até mesmo de levar o bichinho ao veterinário pode ser uma atividade familiar que mostra às crianças o quanto a responsabilidade precisa estar presente na relação e na vida dos pets.

Ter um bichinho em casa é sinônimo de amor e cuidado, mas também impacta diretamente no desenvolvimento físico e emocional de crianças e adultos. Cuidado, responsabilidade e muito amor florescem da relação. Tem bagunça? Tem também! Mas é aquela bagunça que faz falta, por isso, não pense duas vezes em abrir seu coração para dar um novo amigão para seu filho e veja os olhinhos brilhando do pequeno ao brincar com o  cachorro/gato. Você não vai se arrepender!