Dicas

Você já ouviu falar sobre otite em cães e gatos?

otite em cães e gatos - veterinária de jaleco branco e luvas azuis examinando a orelha de um gato persa de cor cinza

 

Todo mundo conhece alguém que já sofreu com inflação no ouvido. Mas, o que muitos ainda não sabem é que essa enfermidade também pode afetar os animais, como é o caso da otite, doença que provoca desconforto, coceira, dores e feridas nos pets. E mais: uma vez que seu tratamento não é feito de forma correta, pode acarretar em danos irreversíveis. Sendo assim, nada melhor do que ficar por dentro desse assunto e saber o que fazer para evitá-la. Confira a seguir!

O que é Otite em cães e gatos?

Se você tem um pet em casa, já deve ter reparado nas diversas dobrinhas presentes em sua orelha, certo? Esse formato, muitas vezes, propicia a entrada e a reprodução de fungos, ácaros e bactérias, causando inflamação no ouvido dos bichinhos. Inflamação essa caracterizada como Otite, que dependendo do estágio em que se encontra, pode ser diagnosticada das seguintes formas:

– Otite Externa:

Como o próprio nome diz, ocorre na parte externa do ouvido do animal (antes do tímpano, responsável pela passagem de som) e é considerada o tipo mais comum. Quando acontece esporadicamente é denominada como Otite Aguda. Já em situações recorrentes, como Otite Crônica. Aumento da produção de cera e coloração escura são alguns sinais mais notáveis.

– Otite Média:

Nesse caso, a inflamação acontece no ouvido médio (atrás do tímpano), sendo mais difícil de enxergar. Geralmente, pode surgir de uma complicação da Otite Externa, que não foi tratada corretamente, por exemplo. Sendo assim, os incômodos são maiores e é preciso um tratamento mais específico.

– Otite Interna:

Podendo causar alterações neurológicas e até mesmo levar a perda de audição, esse tipo de otite é o que mais exige cuidado, pois a inflamação ocorre na parte profunda do ouvido, próxima aos ossos. Desenvolvida a partir de complicações da Otite Média ou por traumas sofridos pelo pet, requer tratamento intenso.

Como identificar otite no seu cãozinho?

Acredite: como o incômodo é bem grande para o animal, você perceberá rapidamente que algo errado está acontecendo com o seu amigo de quatro patas. Entre os sintomas mais comuns da Otite Canina, destacam-se:

– Coceira e feridas na região da orelha;

– Vermelhidão;

– Excesso de cera e coloração mais escura que o normal;

– Odor forte e desagradável;

– Inchaço;

– Cabeça balançando frequentemente.

E nos felinos, como é feita a identificação?

Devido ao aumento de temperatura e umidade do ambiente, a primavera e o verão são as épocas mais propícias para o desenvolvimento da otite. Nos felinos, pode ocorrer por conta de parasitas e quando a imunidade está baixa. 

A otite parasitária, está diretamente ligada a uma infestação por pulgas, ácaros e carrapatos, podendo ainda ser causada através de contato direto com outros felinos infectados, uma vez que pequenos corpos estranhos têm acesso ao canal auditivo. Esse último caso, por exemplo, é comumente observado em abrigos, colônia de gatos ou até mesmo locais que possuem grande quantidade desses bichanos.

Além do excesso de cera escura tanto no ouvido externo quanto na borda da orelha, os felinos com otite também apresentam odor desagradável na região e usam as patinhas constantemente na tentativa de aliviar o incômodo, ação que pode acabar prejudicando ainda mais a área afetada, resultando em mais feridas. 

A otite pode ser decorrente também de uma infecção subjacente (causada por fungos ou bactérias) ou por algum trauma que o animal tenha sofrido recentemente.

Para que você entenda melhor, aqui vai um exemplo associado a rotina desses animais: quando o gatinho toma banho, muitas vezes a orelha recebe um pouco de água em seu interior. Dessa forma, se a secagem não é feita da maneira correta, fungos podem aparecer na região, fazendo com que a área apresente feridas, sangramento ou pus. Todos esses fatores irão incomodar muito o pet e se a doença não for tratada com agilidade, pode progredir para a perda parcial ou total de audição do animalzinho.

Vale destacar ainda que doenças como FIV, PIF e FelV, que afetam a imunidade do animal, também podem desencadear em otite.

Como é realizado o tratamento da otite?

Antes de qualquer coisa, é importante ressaltar que o tratamento será definido de acordo com o tipo da doença, bem como seu agente causador. Se houver um corpo estranho, o primeiro passo é fazer a remoção do mesmo e, em seguida, a limpeza e a secagem do ouvido.

Somente após esse processo será analisado o melhor tratamento a ser seguido. Além da indicação de medicamentos via parenteral ou oral, pode ser que um tratamento de apoio adicional também seja recomendado, como dieta controlada e utilização de shampoos específicos.

Como prevenir a otite no seu pet?

– Mantenha o ouvido do pet sempre limpo e seco;

– Estabeleça uma rotina de limpeza;

– Evite molhar a cabeça do bichinho no momento do banho. Se necessário, coloque um pedaço de algodão na entrada do ouvido;

– Utilize produtos específicos para remover a cera do ouvido com segurança;

– Esteja sempre atento a qualquer mudança de comportamento do animal.

Consulte um médico-veterinário!

Nunca se esqueça de ficar de olho no seu pet, afinal, ele merece ser tratado da melhor forma possível, não é verdade? Por isso, a qualquer sinal de desconforto, leve-o imediatamente a um médico-veterinário para que seja possível verificar o que está acontecendo.

Quanto antes você tomar essa atitude, mais fácil será o diagnóstico de qualquer doença que ele possa ter desenvolvido. Além disso, o tratamento também será iniciado com mais agilidade, aumentando as chances de reversão do quadro em que ela se encontra.

Nunca, em hipótese alguma, medique o animal sem orientação de um profissional responsável e muito menos utilize produtos humanos na tentativa de amenizar a situação. Cuide com paciência, cuidado e respeito! E lembre-se: estamos aqui para te dar todo o apoio necessário.

Conte conosco!