Dicas

Como lidar com a obesidade nos felinos?

Que um gato super fofinho arranca suspiros a gente sabe bem. Mas os tutores devem ter cuidado para identificar quando toda essa fofura é, na verdade, obesidade felina. Essa condição afeta muitos bichanos e pode trazer problemas sérios à saúde dos animais.

O que causa a obesidade felina e como identificá-la

Um gato é considerado obeso quando está com peso entre 15 e 20% acima do esperado, levando em conta características como idade e raça. As causas para a obesidade felina são muitas e, por vezes, até parecidas com as que geram o sobrepeso nos humanos.

A falta de exercícios, por exemplo, é uma condição que pode levar à obesidade. Gatos que não fazem muita atividade estão mais suscetíveis a engordar, assim como também ocorre com outras espécies e com as pessoas.

A má alimentação é outro fator de risco: não ter uma dieta equilibrada, com refeições em quantidades e horários errados ou que não respeitem as necessidades nutricionais do pet, também contribui para que ele fique obeso ou com sobrepeso.

Além disso, os gatos castrados estão mais propensos à obesidade porque após o procedimento o metabolismo fica mais lento. Por fim, problemas genéticos e algumas doenças, como o hipotireoidismo, são outros fatores de risco para os animais.

Por que a obesidade nos felinos pode ser perigosa

A obesidade dos gatos é um perigo para a saúde dos bichanos porque contribui para o surgimento de algumas doenças, como diabetes, pancreatite, doenças hepáticas, ósseas e musculares, entre outras patologias que podem fazer mal e exigem tratamento adequado.

Além disso, estudos indicam que a expectativa de vida dos gatos obesos também é reduzida quando comparada à de animais com o peso ideal. Caso a condição não seja avaliada e tratada, o bichano pode viver até dois anos a menos que outros pets.

Aliás, a obesidade pode ser ainda mais perigosa para gatos idosos, já que eles têm o metabolismo mais lento e costumam fazer menos atividades. Assim, se o gato for mais velhinho, o ideal é levá-lo ao veterinário com ainda mais frequência.

O que fazer para ajudar o gato obeso

O primeiro passo para ajudar o seu gato é, de fato, diagnosticar se esse excesso de fofura é mesmo obesidade. Para isso, leve-o ao veterinário para que o profissional possa fazer exames e constatar se o pet realmente está acima do peso ideal.

Com o diagnóstico confirmado, uma das tarefas mais importantes é ajustar a alimentação do gato, o que vai ocorrer também com a ajuda do veterinário. É possível que ele corte ou reduza os petiscos e que indique uma ração mais balanceada, orientações que devem ser seguidas para ajudar o animal.

Outro passo importante é fazer com que o bichano se movimente. A gente bem sabe que eles amam ficar esparramados no sofá, mas é preciso fazer exercícios! Você pode ajudar estimulando o seu gato com brinquedos, acessórios e atividades lúdicas que envolvam algum movimento.

Além disso, continue levando o gato ao veterinário regularmente para que o profissional avalie como está o quadro de saúde dele e a evolução da condição. Assim, é possível prevenir outras doenças relacionadas à obesidade e oferecer mais qualidade de vida ao bichano.

A obesidade nos felinos é um problema sério, mas que pode ser controlada com os devidos cuidados e muita atenção do tutor! Confira os outros artigos do nosso blog para ficar ainda mais por dentro das dicas para oferecer qualidade de vida e muita saúde para os seus pets!